Lab Fator Humano/Human Factors Lab
  • CRP SC – Nova gestão

    Publicado em 06/10/2019 às 12:21

    A nova equipe de gestão do CRP-SC tomou posse no dia 26 de Setembro de 2019 na cidade de Florianópolis. Dentre os homenageados o prof. Dr. Roberto Moraes Cruz por suas contribuições para a ciência e profissão do psicólogo.


  • SC EXPO DEFENSE

    Publicado em 06/10/2019 às 12:16

    Entre os dias 27 e 29 de Setembro aconteceu a SC EXPO DEFENSE, na base aérea de Florianópolis. O evento reuniu representantes das Forças Armadas, da Indústria e Universidade, com a palestra de abertura do Ministro da Defesa, o General do Exército Fernando Azevedo e Silva. Dentre os convidados da UFSC os membros do grupo de pesquisa com seres humanos em regiões polares PolarSapiens, os estudantes de Psicologia André Luis Gomes, Caroliny Duarte e Eduarda Cardoso, liderado pela doutoranda Paola Barros Delben do laboratório Fator Humano, coordenado pelo prof. Dr. Roberto Moraes Cruz. O laboratório está localizado no departamento de psicologia, do Centro de Filosofia e Ciências Humanas e foi apresentado o trabalho de Gestão de Riscos e do Comportamento Seguro desenvolvido para missões especiais da Marinha do Brasil e da Força Aérea Brasileira.

     

    Nesse mesmo evento foi lançada oficialmente o financiamento coletivo do projeto PolarSapiens, visando a continuidade das pesquisas e auxílio aos mais de 20 membros voluntários dos estudos ao longo dos próximos anos.

    Para contribuir (a partir de 25 reais), ou divulgar, basta acessar o link:

    http://vaka.me/732992

     

     


  • XIII Congresso Brasileiro de Medicina de Tráfego II Congresso Brasileiro de Psicologia de Tráfego

    Publicado em 13/09/2019 às 12:13

    XIII Congresso Brasileiro de Medicina de Tráfego II Congresso Brasileiro de Psicologia de Tráfego. 12 a 15 de Setembro de 2019, em Brasília.

    O prof. Dr. Roberto Moraes Cruz apresentou a palestra “Psicologia do Tráfego no Século XXI”.


  • Psicologia UFSC e IPA – 9º voo de inverno do PROANTAR

    Publicado em 31/08/2019 às 16:11

    A Marinha do Brasil Coordena o Programa Antártico Brasileiro em ações horizontais com o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o Ministério da Ciência Tecnologia, Inovação e Comunicação (MCTIC). Para alcançar o continente gelado são deslocados dois navios e aeronaves Hércules C-130 da FAB. O trabalho de pesquisa desenvolvido desde 2014 em psicologia na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) é pioneiro no Brasil e no mundo e foca especialmente nas pessoas que tornam a estadia humana na Antártica possível para a realização de inúmeras pesquisas de relevância ímpar, atualmente em parceria com o Insituto de Psicologia da Aeronáutica (IPA).

    Fotos: Comandantes Pedra e França, Tenente Bianca Rovella, doutoranda Paola Barros Delben e prof. Dr. Roberto Moraes Cruz.

    Nos meses de inverno o mar ao redor da estação congela, impedindo a aproximação de embarcações. Logo, para levar víveres aos militares que permanecem 1 ano na Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF) durante os meses de maior isolamento (abril a outubro) são realizados os voos de inverno. Requerindo máxima expertise, a tripulação da FAB, composta por 4 pilotos, navegador, comunicação, taifeiro e loodmasters (mestres de carga), sai do Brasil rumo à Punta Arenas (uma das cidades mais próximas da península austral) carregando convidados que irão disseminar as informações obtidas em suas experiências e também carga para abastecimento da EACF.

     

    Arte gráfica: Paola Barros Delben

    A carga é preparada por profissionais de ambas as Forças Armadas, ainda no Rio de Janeiro, levando de mantimentos a itens chamados de “afeto”, cartas, desenhos e presentes de entes queridos dos expedicionários em missão anual, oferecendo não apenas maior conforto, como recursos que promovem a saúde e a segurança de homens e mulheres que trabalham em prol do Brasil. Um dos militares mencionou com emoção a satisfação que é levar a carga para seus colegas e a alegria daqueles que recebem, por exemplo, ovos. Dos 300 lançados de paraquedas apenas alguns quebram. É importante ressaltar que, em virtude dos incêndios na Amazônia, o governo convocou as aeronaves para o combate a incêndio, uma das atividades do 1º/1º esquadrão, exigindo uma reconfiguração da aeronave para ajustar aos tanques de água.

    O voo com os convidados permite que tenham a noção ampla das atividades das forças militares e das pesquisas relacionadas, que tanto dependem de recursos financeiros para sua continuidade. Os convidados têm o privilégio de conhecer de perto todas as ações, mas também a responsabilidade de passar adiante sua experiência, fazendo com que mais e mais pessoas tomem ciência do que e de como é feito o trabalho na Antártica. O pouso com os passageiros é na pista de neve com pouco menos de 1.300 metros e geralmente com ventos fortes.

    Em 2013 apresentei uma proposta ao então secretário da CIRM, almirante Silva Rodrigues, para uma pesquisa que oferecesse atenção à saúde e segurança dos militares. Não imaginei que 6 anos depois o projeto cresceria dessa forma, comportando hoje um grupo com mais de 20 integrantes, de inúmeras áreas, como medicina, direito, engenharias, e é claro, psicologia. Produziu relatórios de PIBIC, cartilhas, apresentações em eventos nacionais e internacionais, artigos científicos publicados em grandes meios e em informes especializados na produção polar, um capítulo de livro, uma dissertação de mestrado, parcerias com países com o Portugal e Polônia, foi aprovado em editais do CNPq, sob a coordenação do prof. Roberto Moraes Cruz, também orientador de doutorado em curso e líder do laboratório fator humano, e recentemente a cooperação entre Instituto de Psicologia da Aeronáutica (IPA), dirigido pelo coronel Pedra e representado na missão pela tenente psicóloga Bianca Rovella, alguém de competência admirável, graças a mediação do Ten. Marcel Quintela. Além disso, o projeto atendeu a demandas específicas da Marinha do Brasil, trabalhando em co-autoria com o atual secretário, o contra Almirante Sergio Gago Guida, a quem devemos respeito e gratidão por sua administração. Para o final do ano está previsto o lançamento da obra “Fator Humano em Ambientes Polares”, com inúmeros convidados, a exemplo do prof. Paulo Munhoz, diretor da Esantar Rio Grande e o prefácio escrito pelo prof. Jefferson Simões, referência em climatologia mundial.

    A prevenção é a melhor forma de evitar danos e prejuízos, além de preservar o principal recurso de qualquer ação: o humano. Partimos do pressuposto de que não é uma questão de “SE”, mas de “QUANDO” novos acidentes e adoecimentos graves poderão ocorrer, como o incêndio que destruiu a EACF em 2012, causando prejuízos de mais de 350 milhões aos cofres publicos e duas mortes, de valor incomensurável. Essa pesquisa tem repercussões sociais, científicas e econômicas, no que tange a um modelo inédito desenvolvido para o controle de riscos no contexto, e tantas outras pesquisas na Antártica geralmente são executadas por paixão dos pesquisadores, que não raramente devem tirar do bolso para cobrir os gastos relacionados. Para a continuidade do projeto buscamos inúmeras formas de financimento e trabalhos paralelos, sem esquecer jamais de mencionar a colaboração dos participantes, que ano após ano fazem com que a admiração e o respeito por seus trabalhos militares de apoio à ciência e ao meio ambiente só aumente. São pessoas que ficam longe de casa por meses, que falam com seus filhos e companheiros por meios virtuais, trabalham até altas horas sob intempéries, levantam cedo, geralmente antes do Sol nascer, e persistem até cumprir a missão, mesmo que não tenham à sua disposição todos os recursos também, assim como os pesquisadores.

    Citando o coordenador do voo, cmdt. Kristoschek e o comandante da tripulação do 1º/1º esquadrão, major Nicolazzi, nossa gratidão por mais essa operação bem sucedida, graças aos esforços individuais e coletivos de brasileiros fantásticos e pela oportunidade e receptividade para levar a psicologia até o último continente do planeta, realizando entrevistas, observações e aplicando testes.

     

    Comissão de coordenação do vôo e convidados, tripulação da FAB, convidados e psicólogos da pesquisa, psicólogas e a capitã Joyce, única mulher a pilotar um avião Hércules na Antártica em aeroporto de Pelotas.

    Por Paola Barros Delben.


  • CIAPOT –

    Publicado em 21/08/2019 às 14:32

    De 28 a 30 de agosto acontecerá em Montevideo, Uruguai, o 6º CIAPOT – Congresso Iberoamericano de Psicologia das Organizações e do Trabalho. O Laboratório Fator Humano participará deste evento por meio da apresentação de dois trabalhos, em mesas redondas do congresso. São eles:  1) Licença para Tratamento de Saúde por Transtornos Mentais em Servidores Públicos da Educação; e 2) Evidências Preliminares de Validade e Precisão de um Instrumento de Avaliação de Riscos Psicossociais e Ocupacionais. Estes trabalhos são decorrentes da pesquisa de doutorado (em curso) de Rafaela Luiza Trevisan, e da pesquisa de mestrado do Me. Pedro Augusto Crocce Carlotto, respectivamente, sob orientação do professor Dr.Roberto Moraes Cruz.

     


  • Qualificação de Mestrado – Rafaela Luiza Trevisan

    Publicado em 15/08/2019 às 5:53

    Em 14 de agosto, a doutoranda Rafaela Luiza Trevisan qualificou seu projeto de doutorado intitulado: “Transtornos Mentais em Servidores Públicos: Caracterização e Acompanhamento do Retorno ao Trabalho”. O projeto foi avaliado pela banca composta pelos professores: Dr.Ricelli Endrigo Ruppel da Rocha (UNIARP), Dr. Fabrício Augusto Menegon (Departamento de Saúde Pública/CCS), Dra. Suzana da Rosa Tolfo (PPGPsi UFSC) e foi aprovado.


  • Revista dos alunos de graduação do curso de Psicologia da UFSC

    Publicado em 09/07/2019 às 21:24

    Os alunos do curso de Psicologia, André Luiz Gomes, Caroliny Duarte da Silva e Eduarda Vieira Cardoso desenvolveram uma revista a disciplina de Processos Psicológicos da Adolescência e Juventude, 4º fase. A revista tem foco na divulgação do continente Antártico e de pesquisas científicas realizadas no local  para jovens de 14 a 18 anos, que estão numa fase decisiva de escolha de curso e podem se inspirar nas reportagens da revista. Os alunos fazem parte do grupo de Fatores Humanos em Regiões Polares, do Laboratório Fator Humano, coordenado pelo prof. Dr. Roberto Moraes Cruz. A revista está disponível no link:

     

    Parabéns!!!


  • Participação no IBAP 2019 – Salvador Bahía

    Publicado em 06/07/2019 às 10:50

    O prof. Roberto Moraes Cruz, a mestranda Karen Rayany Ródio Trevisan e o doutor Luciano Franzim Neto representaram o laboratório Fator Humano no IBAP 2019, em Salvador, na Bahía. Apresentaram trabalhos científicos e participaram do lançamento do livro “Compêndio de Avaliação Psicológica”, da editora Vozes, com a participação de membros do laboratório Fator Humano.


  • Lançamento: Livro “Compêndio de Avaliação Psicológica”, Editora Vozes

    Publicado em 26/06/2019 às 18:24

    O livro Compêndio de Avaliação Psicológica, da Editora Vozes, organizado por Baptista, Muniz, Reppold, Nunes, Carvalho, Primi, Noronha, Seabra, Wechsler, Hutz, & Pasquali, será lançado no dia 27 de Junho no 9º Congresso brasileiro de avaliação psicológica, de 25 a 28 de Junho de 2019, na UCSAL, Salvador, Bahia.

    A obra conta com a colaboração do prof. Dr. Roberto Moraes Cruz, e membros do laboratório Fator Humano, a profa. Dra. Andrea Pesca, a pós-Doc Patrícia Dalagasperina, a dra. Gabriela Frischknecht e a doutoranda Paola Barros Delben.

    Cruz, R. M. & Delben, P. B. (2019). Avaliação Psicológica de Fatores Humanos em Ambientes Isolados, Confinados e Extremos (ICE). In: Makilin Nunes Batista et al. (Org.). Compêndio de Avaliação Psicológica. 1ed.Petrópolis, RJ: Vozes, 2019, v. 1, p. 200-210.

    Dalagasperina, P. & Castro, E. K. (2019). Avaliação de Trauma Psicológico. n: Baptista, M.; Muniz, M.; Reppold, C.; Nunes, C., Carvalho, L.; Primi, R.; Noronha, A. P.; Seabra, A.; Wechsler, S.; Hutz, C.; Pasquali, L.. (Org.). Compêndio de Avaliação Psicológica. 1ed.Petrópolis: Vozes, 2019, v. 1, p. 681-691.


  • HOMENAGEM AO PSICÓLOGO ALVINO AUGUSTO DE SÁ

    Publicado em 19/06/2019 às 13:06

    Hoje, 19 de junho de 2019, nos despedimos de Alvino Augusto de Sá. Psicólogo, mestre em Psicologia Social e doutor em Psicologia Clínica (PUC-SP), professor titular de Psicologia Criminal, na Faculdade de Psicologia, e de Criminologia no Departamento de Direito Penal, Medicina Forense e Criminologia da Faculdade de Direito (USP), o Dr. Alvino, como era conhecido por seus pares, fez parte da primeira geração de psicólogos formados em 1970 (PUC -SP). Ocupou vários cargos administrativos e fez brilhante carreira no mundo psicojurídico, como professor e perito criminal, responsável por formar e capacitar gerações de acadêmicos e profissionais em Psicologia, Direito, Medicina Legal, especialmente nos domínios técnicos-científicos pelos quais ficou conhecido: Psicologia Criminal, Criminologia Clínica, Reincidência Criminal, Perícia Psicológica Criminal.

    Homenageado, por diversas vezes, pelo brilhantismo de suas aulas, Dr. Alvino demonstrava profundo conhecimento de fundamentos psicológicos e psicojurídicos que fundamentam práticas psicológicas no âmbito do Direito Penal. Seus livros, artigos, conferências e aulas refletiam uma formação intelectual e uma cultura geral sofisticadas, assim como o domínio especializado em teorias e metodologias de investigação da conduta criminal. Seus argumentos e reflexões críticas no âmbito da Criminologia e do Direito Penal são lições importantes a serem absorvidas pelas novas gerações de psicólogos e operadores do Direito, especialmente.

    Quem teve a oportunidade de conhecer e conviver, ainda que brevemente, em situações profissionais, pôde perceber o seu genuíno interesse em compartilhar sua vasta experiência como professor universitário e de psicólogo, além, é claro de seus conhecimentos sobre bons vinhos e de piadas. Nesses tempos de reconhecimentos líquidos e pouca valorização de nossos mestres, o Dr. Alvino certamente figura, com méritos acentuados, entre os maiores profissionais de psicologia do Brasil.

    Meus sinceros agradecimentos ao Dr Alvino pela oportunidade de aprender com seus ensinamentos.
    Aos familiares e amigos, meus sentimentos pela perda de um ente querido.

    Roberto Moraes Cruz
    Professor do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina